25 de janeiro de 2018

TARTARUGAS ATÉ LÁ EMBAIXO


Olá Leitores(as), tudo bem??

Voltando a ativa, e com resenha, sobre o último livro do amado John Green - Autor de A culpa é das Estrelas entre outros. 


Capa do livro BR - Foto Própria


"É muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu."



SINOPSE:

Aza Holmes não está disposta a sair por aí bancando a detetive para solucionar o mistério do desaparecimento do bilionário Russell Pickell, mas há uma recompensa de cem mil dólares em jogo, e sua melhor amiga, a destemida Daisy, quer muito botar a mão nesse dinheiro. Assim, as duas vão atrás do único contato que têm em comum com o magnata: o filho dele, Davis. 

Aza está tentando. Tenta ser uma boa filha, uma boa amiga e uma boa aluna, mas, aos dezesseis anos, ainda não encontrou um modo de lidar com as terríveis espirais de pensamento que se afunilam cada vez mais e ameaçam aprisioná-la.

Neste livro arrebatador e sensível sobre amor, resiliência e o poder de uma amizade duradora, John Green conta a tocante história de Aza, lembrando que a vida sempre continua e que muitas surpresas nos aguardam pelo caminho. 




OPINIÃO (CONTÉM SPOILERS):

Após um hiato de seis anos, John Green lança outra obra e mesmo com o passar do tempo, consegue prender o leitor do começo ao fim. 
Desta vez, entramos no mundo da Aza, uma menina que tem TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), uma doença que vai muito além do que conhecemos superficialmente. Não se trata apenas de organização ou de querer estar sempre limpo. Mas sim, da influência da nossa mente, nas nossas ações e medos mais secretos. 

Seu pai já faleceu, sua mãe é uma das professoras da escola onde estuda, e sua melhor amiga, fã e escritora assídua de fanfics sobre Star Wars, fazem parte do enredo que cerca a personagem que vive em uma espiral de pensamentos perturbados sobre um receio de pegar qualquer bactéria e morrer dentro de horas. 

E para completar essa história, temos Davis e Noah Pickell, filhos de um milionário desaparecido, após uma denúncia de suborno e corrupção. Tal sumiço envolve a trama que se descarreta em um carinho do passado, já que Davis e Aza se conheciam desde os onze anos. 

Conseguimos ilustrar facilmente o cenário criado por John Green, desde a mansão, até as noites na lanchonete e um triste acidente que atinge Aza. O transtorno é abordado durante todo o livro, e chama muito atenção.  Tal situação, é descrita com tanta enfase pois em um vídeo do escritor, ele se abriu ao contar que sofreu o problema e que sim, há chances de se curar e conseguir seguir a vida. 

Mais uma obra repleta de envolvimento que vale a pena ser lida. Com personagens femininos fortes e encantadores. 
Espero que não pare de escrever e que o próximo hiato não seja tão grande. 



Autor John Green, com sua mais nova obra. Imagem da Internet














John Green, autor de A culpa é das Estrelas; Quem é você, Alasca?; Cidades de Papel e O Teorema Katherine, é um dos escritores contemporâneos mais queridos pelo público, com mais de 4,5 milhões de livros vendidos no Brasil. Citado pela revista Time como uma das cem pessoas mais influentes do mundo, mora com a família em Indianápolis, nos Estados Unidos. 


1ª Edição - Outubro de 2017
Editora - Intrínseca 
Páginas - 269 


"Posso resumir em três palavras tudo o que aprendi sobre a vida: a vida continua"


Assista ao vídeo onde John Green fala sobre TOC e seu livro: 











29 de maio de 2016

MENTIROSOS



Olá Leitores, tudo bem??

Sei que as resenhas atrasaram um pouco, mas as coisas vão se encaixar! 
E para dar continuidade, trago a resenha do Livro Mentirosos, da escritora E. Lockhart, publicado pela editora Seguinte. 
Já tinha escutado vários comentários sobre o livro e a história, mas uma amiga me abordou de tal forma que não tive outra alternativa se não ler rapidamente em todos os intervalos que tinha para terminar logo, e advinhem?? 
Eu NÃO gostei!!! 

Somos Sinclair,
Ninguém é carente.
Ninguém erra.
Vivemos, pelo menos durante o verão,
em uma ilha particular.
Talvez isso seja tudo o que você 
prcisa saber a nosso respeito. 



Capa do Livro - Imagem autoral


OPINIÃO (CONTÉM SPOILER):

Galerinha bonita, que tenso em?
Primeiro, gostaria que comentassem, pois sinto que só eu (a diferentona), que não gostou do livro. 

Vamos lá, Cadence (não consegui imaginar outra que não fosse a irmã do Phineas e Ferb), é encontrada semi nua, com uma ferida na cabeça e tremendo de frio. Os Sinclair tem uma ilha particular, com várias casas  e objetos caros. Tradicional, sem problemas, ricos, democratas, sorrio largo e queixo quadrado... Não é bem assim, né?

A boa vida de aparência, todo o dinheiro e pouca felicidade. 
A disputa dos herdeiros pela herança, é o que une os quatro mentirosos, Gatwick Matthew Patil, Mirren Sinclair Sheffield, Jonathan Sinclair Dennis e Cadence Sinclair Eastman. 
A história percore sobre a vida de Cadence depois do acidente na ilha, que vai relembrando algumas histórias e momentos. Seus pais se separam, o que seria um baque para qualquer família, mas não para um Sinclair, que são fortes e sem problemas. 




"Aja como uma pessoa normal, ela disse. Agora mesmo. 
Porque você é. Porque você pode ser. 
Não faça escânda-lo, ela disse. Respire e endireite-se." 



Mapa da ilha Sinclar - Imagem Autoral. 

Cadence não lembra do acidente, nem do que houve antes. Seus familiares e conhecidos não querem tocar no assunto. Sua mãe já contou diversas vezes o que houve, mas a memória dela não lembra no dia seguinte o que foi dito. 
O enredo realmente prende, você tenta descobrir e ligar todos os pontos junto com a protagonista, se irrita pois nenhum dos mentirosos entra em contato com ela após o acidente, pela mãe dela e todo o tradicionalismo que passa por cima dos sentimentos da Cadence, e toda necessidade de poder e querer. 

Vale a leitura, mas (spoiler a seguir), quando o capitulo "A Verdade", onde ela enfim lembra de tudo o que houve na ilha... Acho que o me decepcionou foi a continuidade da tragédia, mesmo mortos, como aguentar a culpa? 
Eu já sabia que tinha alguém ou que iria morrer ou que já estava morto (por que tem a opinião do John Green na capa, ele sempre trás alguma morte, hahaha). 

Explicando melhor por que não gostei, bom... As brigas por dinheiro e poder continuaram, mesmo depois do acidente, mesmo com todas as mortes. 
Depois da verdade, achei que ela se mataria ou algo do tipo, que desse mais sentido, mas não. Aparentou que ficaria na mesma "pompa" Sinclair, assim que ela enfim se curasse. 
É uma boa história, mas não supre as expectativas nem todo o "tchan" que os leitores falam do livro. 

Comentem sobre, gostaria muito de conversar mais sobre a obra. 

SOBRE A AUTORA:

E.Lockhart - Imagem da Internet.

E. Lockhart nasceu em Nova York e fez doutorado em literatura inglesa na Universidade Columbia. Deu aulas de redação, literatura e escrita criativa. 
Dela, a Seguinte publicou O Histórico infame de Frankie Landau-Banks (2013), livro de honra do Printz Award. 
Também é autora de Dramarama, The Boyfriend List e Fly on the Wall, e coautora de How to Be Bad, com Lauren Myracle e Sarah Mlynowski. 
Seus livros já foram traduzidos para mais de dez idiomas. 


ANO: 2014
PÁGINAS: 272
EDITORA: SEGUINTE