21 de julho de 2014

RESENHA TRANSFORMERS - A ERA DA EXTINÇÃO

Olá, trago à vocês, a resenha sobre o filme "Transformers -  A Era da Extinção", lançado oficialmente no Brasil na última quinta-feira (17 de julho). A pré-estreia perdurou por duas semanas, levando milhares de pessoas as salas do país desde então. 
Assisti no último sábado (19), na sala IMAX - do Itaú, o que facilita pela qualidade da sala (e pelo valor do ingresso), a riqueza dos detalhes em 3D que o filme traz. E ainda distribuiu para quem quisesse esses pôsteres.


Bom, se retirarmos todos os efeitos, percebemos claramente, que o roteiro não apresenta muitas novidades. O quarto filme da franquia, tem 2 horas e 45 minutos de efeitos especiais, fazendo com que você nem sinta falta do Shia. 
A principal e evidente mudança (que a maioria dos brasileiros costuma reclamar e questionar, pois não são adeptos à mudanças), é na troca do elenco, que desta vez não conta com a presença do Shia Labeouf (de Nymphomanic e Paranoia), mas sim com a atuação de Mark Walberg (de Ted e Max Payne). Que não apresenta "glamour" algum em sua atuação, dando mais foco aos Robôs e toda a sua tecnologia de transformação. 
Cade Yeager (Max), faz o papel de pai solteiro e ciumento, que defende a filha e musa da trama Tessa (interpretado por Nicola Peltz -  de O último Mestre do Ar e da série Bates Hotel), com unhas e dentes ou armas alienígenas e robôs. 
Na questão "A extinção" relata o fato dos humanos acreditarem que não precisam mais da proteção dos Autobots (o lado bom), para sobreviver, pois criaram uma versão melhor para defender a raça e assim extinguir os transformers da Terra, baseando-se evidente sem saber nos Decepticons (lado ruim), assim ressurgindo o inimigo do Líder Optimus Prime, Megatron (que não tem muita ação no filme, mas deixa claro que terá um retorno, para um próximo filme). 
Contudo, a parte mais acessível do filme, que condiz mais com a realidade, nos faz lembrar que a troca é muito fácil, quando não é mais de interesse, porém, como não se deve radicalizar, a missão de Cade, é de passar ao Optimus que alguns humanos ainda são fieis, que a esperança ainda existe e mesmo que pouca, o mal deve ser combatido. A relação entre Stanley Tucci (de O Diabo veste Prada e Jogos Vorazes) que continua na trama e Kelsey Grammer (de Boss e está no elenco de Os Mercenários 3), mostra que  para "defender" a sua nação, não medem esforços mesmo que  "aparentem" ser de interesse individual, trazem aquela pitada, bem pouca mesmo, de comédia ao filme. 
Com a direção de Michael Bay, Transformers - A Era da Extinção, serve para um momento de lazer, para levar os filhos e apreciar os efeitos, não vale criticar o filme e esperando que ele mude a sua vida, acredito que a ideia central do diretor nunca foi essa, o que por sinal da resultado caso contrário, não teria uma sequência que atraí cada vez mais o público. O mês é de férias, então, escolha um bom cinema, vá ao banheiro antes e compre pipoca grande, pois o filme é longo. 

Assista ao Trailer de Transformers -  A Era da Extinção, abaixo.

video

Nenhum comentário: